Ame os seus

Dias desses um amigo me disse que às vezes é mais fácil tratar bem as pessoas com quem não temos muita proximidade. Eu pensei um pouco e concordei com ele. Cheguei à conclusão que isso acontece porque essa pessoa, que ainda não conhecemos tão bem, ainda não se mostrou completamente para nós, portanto não conhecemos suas fraquezas, ou melhor, os motivos que mais tarde nos farão “gostar menos” ou até suportar menos sua presença ou convívio.

Percebam que infelizmente tornou-se algo muito comum, por exemplo, perder o hábito de abrir a porta do carro para nossas esposas, dizer um ”por favor” antes de pedir um copo de água, ou um “obrigado” após receber a manteiga para passar no pão no café da manhã. O mais interessante é que nós, que queremos ser bons, não nos esquecemos de segurar a porta do elevador para aquele que não conhecemos, e se queremos ainda ser mais cristãos, cedemos nosso lugar naquele ônibus lotado.

Eu não digo isso para deixemos de ser bons. Precisamos continuar sendo educados, amorosos e sensíveis com todos. Isso Cristo nos ensina. Mas, é preciso não descuidar dos meus. Dos que estão próximos de mim. São eles que aguentam mais de perto as minhas mazelas, minhas dores, minhas ausências, meus desabafos, minhas derrotas, minhas frustrações. Com eles compartilho minha verdade…

Aquela que na grande maioria das vezes não ouso compartilhar com quem ainda não conheço porque não quero parecer sensível ou fraco aos olhos dele. De forma inconsciente acabamos reservando o melhor vinho para o outro. Para o outro que queremos impressionar. A conquista e reconquista daqueles que amamos precisa ser diária. Como a simples analogia de “regar uma planta para que ela não morra”. Assim mesmo. Deus nos mostra com simplicidade como alcançar o sucesso no amor com o esforço certo e o foco devido.

Cuide dos seus. Ame os seus. E conquiste os outros para que se tornem seus. E aí, cuide deles também.

Faça um comentário